Município conclui obras na estrada rural de Lerroville

Melhorias foram realizadas em cerca de 30 km, beneficiando produtores e famílias que vivem na região

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, concluiu as obras em um trecho de cerca de 30 km de estradas que passam pela região do distrito de Lerroville. As melhorias contemplam as estradas Pari-Paró 1, que dá acesso a Tamarana, Pari-Paró 2 e do Apucaraninha, que faz ligação até a Usina Apucaraninha.

O objetivo é levar maior desenvolvimento para a região rural e qualidade de vida para as pessoas. As melhorias já estão beneficiando milhares de produtores que moram na região, além dos moradores dos assentamentos como o Eli Vive II e Pó de Serra, que também são beneficiados com a estrada do Pari-Paró 1 e 2.

Os serviços incluíram renovação da pista, com serviço de rolamento em cascalho, alargamento de quatro para oito metros, correção de irregularidades e a elevação de seu nível, importante para promover qualidade na consistência de tráfego e reduzir os impactos causados pelas chuvas. O local também recebeu instalação de novo sistema de drenagem e bueiros, que inclui integração de curvas de nível, para maior conservação do solo e melhor acesso às propriedades rurais.

As melhorias foram promovidas com recursos próprios do Município e o projeto contou com a parceria da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (SEAB). A maior parte dos maquinários e equipamentos utilizados foram cedidos pelo governo estadual ao Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Regional Bacia do Cafezal (CIDREBAC), que envolve as cidades de Londrina, Rolândia, Cambé e Arapongas. Alguns equipamentos utilizados na execução das obras são da Prefeitura.

O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Santos, contou que o CIDREBAC existe há 15 anos, mas só saiu do papel na administração do prefeito Marcelo Belinati. Segundo ele, a estrada do Apucaraninha é a mais movimentada do município e nunca teve um serviço desta envergadura. “Tudo isso será fundamental para o desenvolvimento da região e conforto dos usuários, pois são vias utilizadas no escoamento de produção, transporte de estudantes e acesso a outros serviços essenciais”, disse.

Com N.Com

Matheus Nani

Jornalista formado pela Unopar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: