Iluminação pública de Londrina reduz volume de pedidos para reparos

Mesmo os chamados em andamento estão dentro das metas e dos prazos para resolução; serviço é executado pela Prefeitura, por meio da Sercomtel Iluminação

Imagem: Emerson Dias

O número de chamados abertos para reparos da iluminação pública em Londrina diminuiu drasticamente nos últimos dois anos. De acordo com o sistema de controle on-line da Prefeitura e da Sercomtel Iluminação (SI), que acompanha em tempo real os protocolos de atendimento, o ano passado fechou com apenas 267 chamados abertos. No ano anterior, em 2019, haviam 681. A Sercomtel Iluminação é a responsável pelo serviço de manutenção em Londrina.

Nos primeiros 12 dias de 2021, os registros da SI caíram ainda mais, para apenas 118 casos de reparos. Segundo o presidente da companhia, Luciano Kühl, é intenção da empresa sempre deixar esse índice no mínimo possível. “Temos equipes compostas por profissionais valorosos e dedicados, que dão conta do recado”.

A maior parte dos problemas são lâmpadas apagadas ou oscilando à noite, e que ficam acesas durante o dia. Os chamados para reparos são bastante volúveis e dependem principalmente das condições meteorológicas. O prazo para a execução dos serviços é de cinco dias úteis mas, se chover ou as luminárias e fiações estiverem úmidas, o tempo do atendimento pode aumentar. E quando chove, o risco de surgirem novas demandas para reparo também é maior.

Normalmente, a Sercomtel Iluminação trabalha com um teto de referência de demandas abertas em torno de 1% do número de luminárias existentes nos postes das vias urbanas, que é de 65 mil pontos ao todo. “Até 650 casos abertos de saldo, portanto, consideramos como bem aceitável. Mas muito dificilmente vamos deixar chegar neste número. Diria que é quase impossível”, justificou o diretor de Operações da empresa, Alexander Fermino. O saldo de hoje, de 118 chamados, representa apenas 0,18% de problemas no parque de iluminação pública de Londrina, “o que é bem aceitável”, complementou.

Fermino lembrou também que o mais importante é sempre manter os cinco dias de prazo para a execução dos serviços. “Todos esses pouco mais de cem casos abertos estão absolutamente em dia e dentro dos prazos legais”, salienta.

Com: N.COM

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: