Sete empresas concorrem em licitação de capela mortuária na região sul

Após o recebimento das propostas comerciais e documentos, que ocorreu nesta terça-feira, tem início agora a análise técnica

Foi realizada, na tarde da última terça-feira (26), a abertura da licitação para a construção de uma capela mortuária na região sul de Londrina. A sessão pública da Tomada de Preços nº 001/2021 contou com representantes de sete empresas concorrentes, interessadas em executar a construção.

A capela mortuária municipal será instalada na Avenida Guilherme de Almeida, atendendo uma antiga reivindicação da comunidade da região sul. Com valor máximo estipulado em R$ 1.183.735,49, o projeto foi elaborado pelo Município e será executado com recursos próprios.

Para definir qual será o vencedor da licitação, o edital prevê a escolha da proposta comercial com menor preço, desde que o concorrente cumpra todos os requisitos. São eles: regularidade fiscal e trabalhista, habilitação jurídica, mais a qualificação econômico-financeira e técnica.

Dessa forma, um dos envelopes entregues na reunião da licitação contém a proposta comercial para execução da construção, discriminando o custo de material e de mão de obra, juntamente com a planilha orçamentária e o cronograma físico-financeiro. E no segundo envelope, certidões, registros e demais documentos habilitatórios.

Na abertura da licitação, a comissão responsável consultou os Tribunais de Contas do Estado (TCE) e da União (TCU). Dessa forma, foi constatado que nenhum dos sete concorrentes estão impedidos de licitar. Feita a análise prévia das propostas de preço, apresentadas na faixa de R$957.665,75 a R$1.065.366,75, a sessão pública foi encerrada pela comissão de Licitação.

Os documentos técnicos, incluindo planilhas e cronogramas, foram enviados para a Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (SMOP), onde serão analisados por equipe técnica. “Nossa expectativa é, em até trinta dias, finalizar a licitação, assinar o contrato e emitir a ordem de serviço. Trabalhamos para que nesse prazo o processo seja concluído e a Prefeitura autorize o início das obras”, adiantou o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti.

Com: N.Com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: