Precauções necessárias ao renovar um contrato de aluguel em Londrina

Certifique-se dos seus direitos e deveres como inquilino!

Imagem: Pixabay

Há muita coisa a ser estipulada no contrato de aluguel de um imóvel, bem como o prazo de validade do mesmo, o valor do aluguel que será cobrado, os direitos e deveres entre as partes, dentre outras estipulações.

É importante nunca deixar de fazer um contrato, pois ele será a forma de te proteger de possíveis denúncias futuras sem fundamento, ou mesmo de provar não ser o responsável por determinado item cobrado injustamente.

Quando se está procurando uma casa para alugar em Londrina, sempre se fica naquela expectativa de que tudo saia dentro do esperado. Por isso, é importante que na hora da renovação do contrato, você não perca essa determinação de fazer dar tudo certo, pois é ela que te ajudará a se livrar de qualquer enrascada.

Lidar com contratos, é sempre uma questão difícil e que exige cuidado, por isso saber certas coisas ajuda muito nessa hora, afinal proteção nunca é demais. O mercado anda bastante caótico nesses últimos anos, o que pode fazer com que proprietários de apartamentos para alugar em Londrina, possam tentar se dar bem às custas dos inquilinos, mesmo que o momento seja de crise e quase todos estejam no mesmo barco. Nunca se sabe o que as pessoas podem fazer, por isso estar atento nunca é demais.

Acompanhe abaixo algumas precauções necessárias na hora de renovar o seu contrato de aluguel.

Validade

Sempre é possível que uma das partes não tenha interesse em renovar tal contrato, o que causará a destituição de tal vínculo. Assim, nesse caso, o imóvel precisa ser plenamente desocupado, logo após o término do contrato. Se o tempo estiver como indeterminado, aí não há necessidade de uma renovação contratual. Para quem vai renovar o documento que regulariza a relação de aluguel, é preciso que esse processo todo seja feito 30 dias antes do término do mesmo.

Renovação automática

Existe essa possibilidade sim, o que com certeza poupa bastante tempo de ambas as partes. Para que isso aconteça, é necessário que exista uma cláusula no contrato original para isso, passando a valer na medida que o inquilino não demonstre o interesse em desocupar o imóvel, até 30 dias antes de seu final. Segundo a Lei do Inquilinato, todo acordo feito no contrato irá valer novamente a partir disso. É preciso pensar bem antes de colocar tal cláusula no texto do documento, porque você pode ficar preso a um contrato por um tempo bastante grande. É necessário ter certeza de que valerá a pena em seu caso.

Fiadores

Os fiadores não precisam ter o seu compromisso refeito durante a renovação do contrato. Todo esse acordo feito e o compromisso adotado por eles, só será desfeito quando uma das partes rescindir o contrato com a outra. É importante lembrar disso. Mas, por outro lado, o fiador também possui o direito de mudar de ideia e desistir de tal incumbência, seja por qual motivo for.

O valor do caução também não precisa renovar, pois ele é uma reserva caso você deixe de pagar o aluguel. Esse é um processo perfeitamente legal e seguro. Quanto ao seguro-fiança, ele é um caso separado, porque seu contrato é feito à parte, geralmente por uma seguradora. Nesse caso, o seguro precisa ser renovado junto a empresa por você.

Direitos e deveres do locador

Quanto ao locador, se ele não pretende manter o seu imóvel disponível para locação, é seu dever notificar o locatário sobre tal fato. A partir da notificação, é preciso que se passe 30 dias para o contrato acabar, culminando com a entrega da casa ou do apartamento. Se você quer continuar alugando e o interesse for mútuo, basta você notificar a pessoa sobre a renovação. Caso tenha cláusula no contrato para ela acontecer de maneira automática, não é preciso fazer nada, o documento será renovado de qualquer jeito.

No que diz respeito, aos seus deveres para com os seus inquilinos, o locador precisa oferecer um ambiente plenamente equipado e estruturado para eles viverem. Portanto, todos os problemas de ordem fixa e estrutural, como questões com encanamento, problemas na fiação elétrica, dentre outros, precisam ser resolvidos pelo dono. Caso algum proprietário queira fazer o contrário, ele estará cometendo uma grande infração. É preciso sempre estar atento a essas coisas, pois a parte mais frágil é sempre a do inquilino. Por isso, fique sempre muito esperto.

Direito e deveres do locatário

Quanto à questão da renovação do contrato de aluguel, caso o inquilino seja notificado pelo dono, basta ele responder a ele sobre as suas intenções para o futuro. Se porventura, houver uma demanda acerca de valores e cláusulas, você sempre poderá discuti-las com o locador, mas ele também possui o direito de negar. E se isso acontecer, é preciso estar ciente que em qualquer momento ele pode pedir a casa de volta (arcando com todas as consequências contratuais, lógico), especialmente se o contrato já estiver acabando.

No vigor do novo contrato, o inquilino deverá arcar com todas as responsabilidades que já tinha antes. É dever dele, manter o local em boas condições, entregando-o no mesmo estado em que ele estava quando foi alugado. Se houver alguma diferença, você deverá responder por isso se não for algo possível de ser solucionado. Afora isso, ele precisa pagar o aluguel mensalmente e também o condomínio do prédio (caso exista tal obrigação). O preço acordado do aluguel, tenha sido ele reajustado ou não, vigorará até o fim do novo contrato, não podendo ser mudado nesse meio de tempo.

 

Para você que curtiu o nosso artigo, sobre as precauções necessárias ao renovar um contrato de aluguel, fica aqui o nosso convite, para voltar ao nosso site e ler mais alguns dos nossos posts. Você não irá se arrepender!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: