Prefeitura cancela o Carnaval e adota medidas restritivas

Decreto, assinado pelo prefeito Marcelo, traz regras que serão aplicadas em Londrina

Para reduzir a circulação de pessoas no período de Carnaval e, por consequência, reduzir o risco de contágio por Covid-19, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, anunciou uma série de medidas restritivas que incluem o cancelamento das comemorações. Marcelo, que fez o anúncio em coletiva na tarde desta segunda-feira (8), estava acompanhado dos prefeitos das cidade de Cambé, Conrado Scheller, já que a decisão será acompanhada pelas duas cidades limítrofes, além de Ibiporã.

Oficializando as medidas, o decreto municipal nº 156/2021 foi publicado na edição n° 4.271 do Jornal Oficial, disponível para acesso no Portal da Prefeitura. As determinações são válidas para o período de 0h de sexta-feira (12) até a 0h de quinta-feira (18), prazo que poderá ser prorrogado.

As restrições incluem:

  • Cancelado o Carnaval em Londrina;
  • Proibição dos festejos públicos ou particulares alusivos ao Carnaval;
  • Proibida a realização de reuniões familiares, eventos, confraternizações e similares, com mais de 10 pessoas;
  • Proibida a abertura e funcionamento de bares, incluindo estabelecimentos em que esta não seja a atividade principal;
  • Instituição da “Lei Seca”, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em estabelecimentos comerciais e locais públicos ou privados, de uso público ou coletivo;
  • Proibida a realização e prática de esportes coletivos, em locais públicos ou particulares, como clubes, condomínios, complexos esportivos e espaços similares.

Quanto ao feriado de Carnaval, a Prefeitura de Londrina irá seguir determinação do governo federal. Assim, nos dias 15 e 16 de fevereiro, em período integral, e no dia 17 de fevereiro, até o meio-dia, as repartições públicas terão ponto facultativo.

Caso ocorra o descumprimento dessas medidas, serão aplicadas as penalidades previstas no decreto nº 1162/2020 e no decreto nº 1.352/2020, dentre elas interdição, multa e cassação de alvará de funcionamento. Essas penalidades podem variar conforme o grau da infração e, nas reincidências, a multa é cobrada em dobro.

No anúncio, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, frisou que as decisões foram tomadas em conjunto durante reunião com os prefeitos de Ibiporã, Cambé e. “Estamos em um momento muito delicado da pandemia, não só em Londrina ou Paraná mas em todo Brasil. Londrina chegou ontem à ocupação de 100% das enfermarias hospitalares, hoje um pouco menos, e os leitos de UTI na casa de 80% de ocupação. E em razão disso, adotamos essas medidas diferenciadas visando diminuir a circulação de pessoas e do vírus, e que serão as mesmas para as quatro cidades, especialmente no período de carnaval”, justificou.

O prefeito esclareceu também que o Município irá seguir decreto federal quanto ao ponto facultativo, o que vai ao encontro de acordos coletivos da indústria e comércio. “Estamos limitando todas essas atividades para que a gente diminua a circulação de pessoas efetivamente e não leve a pessoa a fazer outras coisas. É o momento para a pessoa aproveitar e ficar em família, em casa, se cuidando dessa doença”, citou.

Ainda na coletiva, o prefeito de Cambé, Conrado Scheller, destacou que foi um momento único para as quatro cidades, de os prefeitos tomarem decisões uniformes. “O objetivo dessa união entre Cambé, Londrina e Ibiporã, é que nós tomemos decisões com efeitos consolidados por serem iguais. O momento exige isso, nenhum prefeito inventa uma decisão para prejudicar comerciante, um trabalhador. Nós trabalhamos com estatísticas, são os números quem definem nossas ações”, detalhou.

Outras restrições aplicadas para frear o contágio e transmissão pelo coronavírus seguirão em vigor durante o Carnaval. Dentre elas, o toque de recolher, válido diariamente das 23h às 5h; o uso obrigatório de máscaras; horário diferenciado para comércio.

Com N.Com 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: