Prefeito orienta população para continuidade dos cuidados com a pandemia

Há quatro semanas seguidas, Londrina vem registrando uma redução no índice da pandemia

Para orientar a população com informações atualizadas sobre a situação da COVID-19 em Londrina e região, o prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, realizaram na noite de domingo (18), uma nova live pelas redes sociais . Segundo dados oficias, no último levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS),  a cidade registrou 49.311 casos positivos, o que significa 148 a mais do que o registrado anteriormente. Ao todo, 47.489 pacientes se curaram da COVID-19, enquanto outras 44 pessoas aguardam os resultados dos exames. Até o momento, quase 100 mil casos suspeitos foram descartados, através do resultado negativo para a doença.

No momento, em Londrina, há 675 casos ativos da doença, sedo que 451 pessoas estão sendo monitoradas em isolamento domiciliar e outras 224 estão internados. Entre os internados, 125 ocupam leitos moderados (de enfermaria) e 99 pessoas estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Infelizmente, a cidade registrou dez novos óbitos por COVID-19, sendo três homens (de 36, 56 e 57 anos) e sete pacientes do sexo feminino (com 59, 60, 64, 66, 67, 71 e 75 anos). Com isso, Londrina somou 1.147 óbitos em decorrência da infecção viral.

Em todo Estado do Paraná, há 95% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados. Na região leste, o índice de ocupação está em 94%, na oeste chegou a 96%, na noroeste a 95%, na norte – onde fica Londrina – está em 94%. Além disso, há 316 pacientes aguardando leitos específicos para o tratamento da COVID no Paraná. Destes, 23 estão na região de Maringá; 46 na macrorregião de Cascavel; 63 na região macronorte e na macrorregião leste do Estado (Curitiba) há 184 pacientes na fila de espera por um leito especializado.

A média móvel de casos confirmados em Londrina mostra que houve uma redução de 31,93% em relação a 14 dias atrás. “Há 14 dias atrás tínhamos uma média móvel de 244 casos positivos por dia, que hoje está em 166 casos, ou seja, uma redução de 31,93% em comparação com a última média. O que confirma essa redução é o indicador R0, que mede a velocidade da pandemia. Hoje, temos um R0 menor que 1, sendo a segunda vez que isso acontece, durante toda a pandemia. Isso mostra que a pandemia está em desaceleração, pois temos praticamente há quatro semanas esse indicador em queda”, explicou o secretário de saúde.

Além disso, o prefeito Marcelo Belinati, explicou que quando começam a cair os números de pessoas contaminadas e internadas nas enfermarias, há uma sequência natural. Primeiro diminui o número de atendimentos nas unidades de saúde, depois o número de internações nas enfermarias e, em terceiro lugar, começa a abaixar o número de ocupações nos leitos de UTI.  Após a queda no número de contaminação, há um período de latência entre uma onda de contaminação e a próxima. “No período de baixa contaminação, nossa intenção é acelerar muito a vacinação, para que não aconteça o que está acontecendo na Europa, com terceira onda da pandemia. Por isso, reforçamos que as pessoas continuem se cuidando”, pediu o prefeito.

O secretário municipal de saúde, Felippe Machado, ressaltou a importância da segunda dose da vacina contra a COVID-19. “É importante destacar a importância de as pessoas, que estão tomando a vacina, para se atentarem em relação a segunda dose. Temos percebido que muitas têm perdido o prazo para tomar a segunda dose. Mas, é só olhar a carteirinha de vacina, porque nela tem marcado a data em que a pessoa precisa voltar no site da Prefeitura de Londrina, para agendar a segunda dose da vacina”, disse.

Pontos de vacinação – A cidade tem seis postos de vacinação exclusivos para a aplicação da vacina contra a COVID-19. São eles: Unidade Básica de Saúde do Jardim do Sol, do Parque Alvorada, do Ernani Moura Lima, do Eldorado e da Vila Casoni, além do Centro de Imunização da Zona Norte, que fica no prédio do Centro de Convivência do Idoso, da zona norte, na Rua Luís Brugin, 570, esquina com a Avenida Saul Elkind. Todos os endereços e horários de funcionamento desses locais podem ser conferidos.

Para agendar o dia e o horário para receber a primeira e a segunda dose do imunizante contra a COVID-19, basta acessar o site da Prefeitura de Londrina, colocar o número do CPF de quem receberá a vacina e se informar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Inclusive no domingo (18), até às 23 horas, os servidores da saúde trabalharam vacinando a população. “Londrina foi a primeira cidade do Brasil a vacinar de segunda a segunda, e com horário estendido para atender todas as pessoas que não podem durante a semana”, lembrou Machado.

Na página do agendamento, abrirá os locais disponíveis para a vacinação (Centro de Imunização da zona norte, ou uma das cinco Unidades Básicas de Saúde disponíveis). Quando não há mais horários disponíveis, o sistema informa o cidadão. O mesmo acontece quando os dias de intervalo entre a primeira dose e a segunda ainda não foi atingido. Após agendar o dia, horário e local, é necessário imprimir o QR-Code e levá-lo no dia da vacinação junto ao RG ou à carteira de identidade.

Com N.Com 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: