Vacinação Covid-19: Cadastro de pacientes com comorbidades inicia hoje

Em live realizada no domingo (25), prefeito Marcelo Belinati detalhou o processo de cadastramento, que deve ser realizado no site da Prefeitura, a partir das 19h desta segunda-feira

Em live realizada no domingo (25), o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, e o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, divulgaram informações referentes ao cadastramento de pessoas com comorbidades para a vacinação contra a Covid-19. A partir das 19h desta segunda-feira (26), o cadastro online estará liberado para indivíduos que tenham entre 18 e menos de 59 anos e possuam condições como: diabetes; doenças pulmonares crônicas graves; hipertensão arterial; doenças do coração; enfermidades cerebrovasculares; doenças renais crônicas; anemia falciforme; obesidade mórbida; síndrome de Down; cirrose hepática; e imunossupressão (pacientes transplantados, com HIV ou câncer). No total, estima-se que entre 22 e 25 mil londrinenses estejam inclusos nessas categorias, que foram definidas de acordo com as normas estabelecidas pelo Plano Nacional de Imunização, de autoria do Ministério da Saúde.

Os cidadãos que fazem parte desses grupos deverão acessar o portal da Prefeitura de Londrina e clicar na aba “Cadastro prévio – vacinação contra Covid-19 – pessoas com comorbidades”, localizada no canto inferior direito da tela. Em seguida, é preciso inserir o número do CPF no campo específico para isso e ler as orientações sobre as comorbidades contempladas pela campanha e contraindicações da vacina. O próximo passo é selecionar a comorbidade apresentada pelo paciente e, na tela que se segue, preencher os dados pessoais. Ao final do cadastramento, serão reforçadas as orientações sobre as comorbidades inclusas no plano e estará disponível um formulário de atestado médico. Neste link tem o passo a passo para consultar antes de preencher os dados necessários.

O prefeito Marcelo explicou que os atestados não são necessários para quem recebe acompanhamento na rede municipal de saúde de Londrina. “As pessoas com comorbidades que são acompanhadas pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município não precisam desse encaminhamento, ele é requerido apenas para quem é atendido pela rede particular ou por convênios. Quem tiver dúvidas sobre isso pode falar com seu médico; entrar em contato com sua UBS de referência; contatar as redes sociais da Secretaria Municipal de Saúde; ou ligar para o Disque Coronavírus, pelo telefone 0800-400-1234, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h”, afirmou.

Após a conclusão do processo de cadastramento, os indivíduos que necessitam de encaminhamento médico deverão salvar o arquivo intitulado “Pessoas com comorbidades”, que conterá um código do tipo QR code. Essa folha deverá ser impressa, preenchida e afixada em um envelope, dentro do qual será preciso colocar o atestado médico preenchido, cópias de documentos pessoais (RG e CPF) e comprovante de residência. Em seguida, é necessário entregar esses itens a alguma escola municipal de Londrina, que os encaminhará à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), para análise.

As 120 escolas e CMEIS municipais também estão disponíveis – de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h – para ajudar quem não possui acesso à internet ou tiver dificuldades para realizar o cadastramento on-line.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, lembrou que as datas para a vacinação de pessoas com comorbidades serão definidas em breve, e pediu para que as pessoas se atentem às contraindicações da vacina. “É importante reforçar que deve haver um intervalo de 14 dias entre as vacinas contra a influenza e a Covid-19. Além disso, quem já teve Covid-19 deve aguardar por um período de 30 dias – após o início dos sintomas – para ser vacinado. Peço a todos, também, para que não percam a carteirinha de vacinação que será entregue após a aplicação da primeira dose. Ela deve ser levada para a dose de reforço, pois contém informações importantes”, frisou.

Boletim Covid-19 – Durante a transmissão, foram divulgados dados atualizados sobre a situação da pandemia de Covid-19 em Londrina e no Paraná.

Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) específicas para Covid-19 é de 95% no estado. O índice é de 94% para a macrorregião norte, onde se localiza Londrina; 95% para a macro leste (Curitiba); 96% para a macro oeste (Cascavel); e 91% para a macro noroeste (Maringá). No total, 20 pessoas estão à espera de um leito (enfermaria ou UTI) na macro noroeste; 33 na macro norte; 43 na macro oeste; 178 na macro leste; e 274 no Paraná como um todo.

Em Londrina, 57% dos leitos de enfermaria gerais (SUS e privados) estão ocupados. O índice é de 81% para as UTIs gerais adultas; 68% para as UTIs gerais pediátricas; 85% nas enfermarias específicas para Covid-19 do SUS; 97% nas UTIs adultas específicas para Covid-19 do SUS; e 7% nas UTIs infantis específicas para Covid-19 do SUS.

A média móvel de novas infecções diárias por Covid-19 apresentou redução de 11,7% no município, indo de 182,1 nos últimos 14 dias para 160,9 na última semana. Já o índice de transmissão (R0) caiu de 0,99 para 0,94, o que indica desaceleração da propagação do vírus. Com 4.643 casos diagnosticados até o momento, abril apresenta números menores que os de dezembro (6.734), janeiro (8.688), fevereiro (7.112) e março (8.121).

Ainda assim, o prefeito salientou que é necessário manter os cuidados de saúde e segurança. “Precisamos continuar realizando o distanciamento social, o uso de máscaras de proteção e a higienização frequente das mãos com álcool gel. Junto com a vacinação em massa, essas precauções vão permitir que nós evitemos ou amenizemos uma possível terceira onda da pandemia”, disse.

A faixa etária com maior número de casos permanece sendo a de 20 a 39 anos, com 21.175 diagnósticos (41,98% do total) e 45 óbitos (3,73% do total). As pessoas com 60 anos ou mais têm a maior proporção de óbitos, com 954 ocorrências (79,17%) e 7.786 casos (15,44%). O grupo de 40 a 59 anos apresenta 16.841 casos (33,39%) e 206 óbitos (17,10%). O segmento de 0 a 9 anos não registrou óbitos, contabilizando 1.225 casos (2,43%). Também não houve mortes entre os jovens de 10 a 19 anos, entre os quais 3.410 diagnósticos (6,76%) foram registrados.

Entre o último sábado (24) e domingo (25), 111 novos casos de Covid-19 foram diagnosticados na cidade. Desde o início da pandemia, o total é de 50.437. Os pacientes recuperados até o último boletim somam 108, sendo que o acumulado dos últimos doze meses é de 48.655. Os óbitos ocorridos em Londrina já são 1.205, sendo que três foram contabilizados no levantamento mais recente.

Com: N.Com

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: